Oh, Captain, my Captain


Um dos poemas mais lindos que conheço, que me marcou ainda na infância. Hoje, como professor, não há como não recordar os alunos da Helton subindo em suas mesas quando o professor John Keating (Robin Williams) deixa a sala para ser substituído (Sociedade dos Poetas Mortos, Oscar de Melhor Roteiro Original em 1990). O poema foi escrito em homenagem ao presidente norte-americano assassinado, Abraham Lincoln.

Hoje vou deixar como homenagem a um cara que tem me dado um baita apoio em questão de carreira acadêmica e, em muitos momentos, até com questões pessoais. Nessa semana, mandei um email para ele, chamando-o de Captain (sempre brincamos assim: Mestre Jedi, Pai Mei; Sábio Guru, etc) e me lembrei do poema de Walt Whitman, que segue abaixo

Walt Whitman (1819–1892). Leaves of Grass. 1900.

193. O Captain! My Captain!

1
O CAPTAIN! my Captain! our fearful trip is done;
The ship has weather’d every rack, the prize we sought is won;
The port is near, the bells I hear, the people all exulting,
While follow eyes the steady keel, the vessel grim and daring:
But O heart! heart! heart! 5
O the bleeding drops of red,
Where on the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead.
2
O Captain! my Captain! rise up and hear the bells;
Rise up—for you the flag is flung—for you the bugle trills; 10
For you bouquets and ribbon’d wreaths—for you the shores a-crowding;
For you they call, the swaying mass, their eager faces turning;
Here Captain! dear father!
This arm beneath your head;
It is some dream that on the deck, 15
You’ve fallen cold and dead.
3
My Captain does not answer, his lips are pale and still;
My father does not feel my arm, he has no pulse nor will;
The ship is anchor’d safe and sound, its voyage closed and done;
From fearful trip, the victor ship, comes in with object won; 20
Exult, O shores, and ring, O bells!
But I, with mournful tread,
Walk the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead.

(tradução)

Oh capitão! Meu capitão! nossa viagem
[medonha terminou;
O barco venceu todas as tormentas,
[o prêmio que perseguimos foi ganho;
O porto está próximo, ouço
[os sinos, o povo todo exulta,
Enquanto seguem com o olhar a quilha firme,
[o barco raivoso e audaz:

Mas oh coração! coração! coração!
Oh gotas sangrentas de vermelho,
No tombadilho onde jaz meu capitão,
Caído, frio, morto.

Oh capitão! Meu capitão! erga-se
[e ouça os sinos;
Levante-se – por você a bandeira dança – por
[você tocam os clarins;
Por você buquês e fitas em grinaldas –
[por você a multidão na praia;
Por você eles clamam, a reverente multidão
[de faces ansiosas:

Aqui capitão! pai querido!
Este braço sob sua cabeça;
É algum sonho que no tombadilho
Você esteja caído, frio e morto.

Meu capitão não responde, seus lábios
[estão pálidos e silenciosos
Meu pai não sente meu braço, ele não
[tem pulsação ou vontade;
O barco está ancorado com segurança
[e inteiro, sua viagem finda, acabada;
De uma horrível travessia o vitorioso barco
[retorna com o almejado prêmio:

Exulta, oh praia, e toquem, oh sinos!
Mas eu com passos desolados,
Ando pelo tombadilho onde jaz meu capitão,
caído, frio, morto.

Tradução: http://www.ocaixote.com.br/caixote07/captain.html

Referências:

http://en.wikipedia.org/wiki/O_Captain!_My_Captain!

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dead_Poets_Society

http://pt.wikipedia.org/wiki/Robin_Williams

22 comentários sobre “Oh, Captain, my Captain

  1. Pingback: Sergio Luis via Rec6

  2. very interesting, but I don’t agree with you
    Idetrorce

  3. Adoro este poema de Walt Whitman…obrigado por tê-lo publicado aqui, juntamente com a traduçao. É realmente bonito.🙂

  4. É, de fato, lindo… fui atrás desde quando vi o filme com o Robin Williams

  5. o poema é lindo… me arrepia qdo lembro a cena do filme q vc citou!
    beijos!

  6. Nem me fale, ainda mais sendo professor, é zuado de lembrar

  7. Esse poema foi escrito para abraham lincoln.
    João

  8. Sim, João, mas ficou muito famoso após o filme

  9. Eu espero que todo mundo veja o homoerotismo que eu vejo aí ou eu sou tipo muito gay. Sim ou não. E essa cena do filme é tão brega que sei lá, mas eu suponho que funcione se você se coloca como professor e pá.

    Poema legal, aliás. Eu gosto do Walt Whitman; e toda a viadagem no fim do século XIX, pra ser sincero.

  10. Er… não, não vejo homoerotismo na cena. Aliás, nunca vi. Aliás, se viu o filme, pode notar que a única cena que tem um cunho mais “sexual” é o momento onde estão na caverna e levam duas prostitutas.

    Ah, tem também a cena do cara que se apaixona pela menina da outra escola.

  11. Eu não quis dizer a cena, eu tava falando do poema. E eu tava fazendo uma brincadeira também, se também não notou isso. Porque o Wal Whitman tinha uma quedinha por Lincoln, etc. Fofoca clássica.

  12. Sim, sim… a questão da “quedinha” é clara, mas vejo mais como admiração, sei lá…

  13. Pingback: Os números de 2010 « Na Toca da Cobra

  14. O poema é lindo e a apropriação feita pelo filme também.
    O que muito pouca gente nota na tradução é que “captain”, em marinha, não é traduzido como “capitão”, mas como “comandante”.
    Fica a contribuição…
    Ah, sim: por que afeto e admiração entre homens tem que ser viadagem?

  15. Muito legall…essas informaçoes! Me ajudou bastante em uma pesquisa, admiro as obras de Walt whitman ; song of myself,body eletric…Mas, esse poema parece realmente ter um significado especial.

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s