Respeito


Claro que foi divertido ver a queda do Corinthians pra Segunda Divisão do Brasileirão. E assumo isso, sem hipocrisia. Ser campeão, bicampeão, pentacampeão com 5 rodadas de antecedência (isso pra falar em matematiquês, porque na prática, já o fora com pelo menos 10) e ver, na última rodada, os dois maiores rivais da capital deixando escapar entre os dedos suas maiores pretensões (e isso tudo por demérito próprio): Palmeiras perdendo a vaga pra Libertadores e Corinthians sendo rebaixado dependendo apenas de si fará São Paulinos (e até alguns santistas, quem sabe) acordarem com sorriso de orelha a orelha. É uma das graças de um campeonato assim. Como disse, confesso ter me divertido, mas não nego que é triste ver o que se fez a um clube com a tradição do Corinthians. É um time grande, porém, e deve voltar no próximo ano. Para mim, isso parece até bastante claro.

Particularmente, tenho um culpado para isso: a amadora administração da que o clube – quase centenário – vem sendo vítima. Comparo com o caso do São Paulo, onde há, inclusive, diretores profissionais, contratados. A diferença de resultados é gritante: enquanto a torcida alvinegra fazia vigilia nos portões do clube e na frente da casa do presidente deposto, a torcida tricolor comemorava a arrancada que lhe faria encerrar o campeonato 5 rodadas antes do término e manter a vantagem de 15 pontos até o final. O Corinthians precisava de apenas 2 desses quinze pontos que o São Paulo abriu. 2 pontos e teria espacado da vexatória pecha de time de segunda divisão. Mas não teve a competência para tal. E não foi por falta de brio dos jogadores (assisti aos ultimos jogos, principalmente), mas por falta de qualidade, mesmo. Não tivessem os dirigentes se preocupado tanto em sumir com parte do dinheiro do clube, certamente teriam contratado um pouco melhor e livrado a cara do clube, haja visto uma das ultimas contratações, com o time já sôfrego, ser o artilheiro do time mesmo jogando menos de um terço do campeonato.

Mas o post não era pra falar exatamente disso, senão para demonstrar meu respeito com o melhor jogador (e um dos dois ou três únicos que se salvam) do elenco do rebaixado Corinthians, o goleiro Felipe.

Não bastassem as milagrosas e espetaculares defesas (eu estou impressionado mesmo com esse garoto, e olha que vi jogarem Zetti e Rogério Ceni). Não bastasse a vontade de vencer e a raça ao atravessar o campo nos últimos jogos para tentar livrar o time do destino fatídico. Não bastasse quase ter marcado um gol de cabeça. Não bastasse tudo isso, o jovem goleiro de 23 anos fez algo que se torna digno de respeito: ao final da partida que sepultou as ambições do time de permanecer na Primeira Divisão, o goleiro foi o único atleta do clube a permanecer em campo, dar entrevistas e, depois, ir até a torcida (que atravessara tres Estados para acompanhar o time) e agradecer o apoio. Nenhum dos medalhões, dos mais velhos, nenhum dos dirigentes trapalhões, sequer o técnico o fez. Foi o rapaz que vem salvando o time de cair há 4 ou 5 rodadas que encarou a bronca de se apresentar à torcida. E a resposta foi imediata: aplausos.

Para a jovem revelação do campeonato (que deve concorrer com Breno, zagueiro do São Paulo), deixo meu respeito.

Anúncios

3 comentários sobre “Respeito

  1. Pingback: Sergio Luis via Rec6

  2. Eu ganhei um autógrafo do Rogério Ceni…heheh…

    **** MORRAM DE INVEJA!!!!****

    Uhu…..!

    ( Só não me lembro onde eu coloquei ele….rs)

    E qto ao “curintia” esse time ainda existe???

    HEHEHE!

  3. BAH!!! EU QUERO!!

    (mas eu tenho autografo do Raí, Cerezo, Telê, Zetti)
    😉

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s