Profissão Perigo


O título do post é proposital. Sou fã mesmo (a ponto de ter a 1ª temporada em DVD). As séries dos anos 80, com pouca tecnologia, eram um pouco mais criativas, penso eu. Mas acho que MacGyver se daria bem nos anos 90 e nos 2000 também: imaginem o protagonista de Profissão Perigo dividindo (ou até roubando) a cena de Jack Bauer (24 Horas). Enquanto o herói da truculência usaria seus gritos e a pistola para arrancar confissões, MacGyver arranjaria um jeito de o local só explodir depois que eles saíssem… ilesos! Além disso, MacGyver é mais globalizado e menos xenofóbico. Enquanto o pessoal da CTU persegue russos, latinos, árabes e chineses; o herói da fundação Phoenix realizava missões de salvamento e libertação de povos no Laos, no México, na Inglaterra. Isso sem falar nas incomparáveis aulas de ciências! Quem nunca aprendeu a desarmar uma bomba atô.mica com um chiclete e um clips?

Outro aspecto aumenta minha identificação com o herói da década de 80: já tive meus momentos MacGyver. Um deles (o mais memorável, e que me rendeu até apelido) foi quando fiquei preso no banheiro da empresa. Tinha duas opções: sair pela janelinha acima da porta ou gritar por ajuda. Ambas, bastante vexatórias para um rapaz de 18 anos (Dio mio! Já se vão 10 anos nessa brincadeira!). Escolhi a saída MacGyver (obviamente, ela não estava listada entre as opções viáveis, senão não teria graça). Desmontei a fechadura do banheiro usando apenas uma pequena chave do cadeado do portão de casa. É… desparafusei a fechadura, tomando o cuidade de não deixar a maçaneta cair do outro lado… abri cuidadosamente, a tempo da fechadura desmontar no chão. A história acabou se espalhando e o apelido também.

Mas a motivação do post aconteceu após ler um posto do Sérgio Pavarini acerca de administração. O post, intitulado Gestão (inovação) = resolver problemas com restrições, fala, na verdade, do famoso caso da Apollo 13, onde os engenheiros tiveram que resolver o problema de filtragem de ar usando apenas os elementos que tinham dentro da nave. E não tinham muito tempo! E é daí que o texto nos remete ao famoso herói dos anos 80. Ter uma equipe e recursos quase ilimitados para alcançar seus objetivos (como o tem Jack Bauer), ok, é legal, mas não é que normalmente acontece. Geralmente só temos um punhado de barras de chocolate e precisamos conter um vazamento de enxofre. E é aí que vemos o que vale mesmo. E isso não tem a ver com “feeling“, mas com trabalho, com preparo (para quem não sabe, no episódio zero descobrimos que o MacGyver é um engenheiro físico dos mais competentes) e com um senso de urgência e entrega raros (principalmente no mundo do “tudo pronto”).

Afinal, administrar com excedentes de recursos, até eu faço! Difícil é fazer milagres com um canivete suíço e um pouco de fita adesiva.
😉


Anúncios

5 comentários sobre “Profissão Perigo

  1. Pingback: Sergio Luis via Rec6

  2. Vamos assistir a temporada? hahahahaha

  3. Levamos pra praia e matamos os 4 discos, que tal?
    hehehehe…

  4. Acho que vou andar com meu canivete suíço no bolso depois dessa :p

    Não precisa dizer que eu era fã da série, né?

  5. Convidade para a sessão de pipoca com MacGyver
    hgehehe

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s