Diário de Viagem 2009 – Sonhos e pó


“Penso que a história de todo um império se resume naquele único edifício. Não somente um símbolo, mas um sinal para todos. Uma lembrança da altura de nossos sonhos e e da fragilidade de nossas conquistas”

Não intento ser poético – talvez um pouco – mas penso que é importante explicar o que penso sobre isso.

Vejo o Coliseu como um marco, uma lição sobre força, potência e fragilidade. Uma espécie de Torre de Babel que permaneceu de pé em toda a sua decadência para nos lembrar exatamente do que nós somos: pó!

Símbolo de um dos maiores impérios de toda a história humana, o Coliseu simboliza também – em sua origem – a superficialidade e corrupção humanas. Naquele espaço eram conduzidos espetáculos de horror, banhos de sangue que divertiam as multidões. Espetáculos de morbidez e gosto questionável que entretiam a multidão – como nossos BBBs e grandes finais de futebol – enquanto políticos corruptos – já naquele tempo – passavam a mão na coisa pública em favor de seus próprios interesses – exatamente como em nossos dias.

O Coliseu é também símbolo da intolerância religiosa e da força da fé – em todos os seus paradoxos. Enquanto cristãos eram dados aos leões – para delírio das massas – suas mortes também demonstravam sua força, a força de acreditar ao ponto de morrer por algo em que se acredita. Isso é extremamente poderoso!

Por fim, belo e inacabado, o Coliseu representa o tamanho dos nossos sonhos, sua altura, sua forma, seu esplendor. E representa também nossa fragilidade e incapacidade de torna-los reais. Gerações de homens não foram capazes de realizar aquela empreitada até o fim.

O Coliseu, em seu esplendor e ruína, lembra-nos exatamente o que somos: humanos.

E, como humanos, pó.

2009-07-08 - Itália - Roma (42)

5 comentários sobre “Diário de Viagem 2009 – Sonhos e pó

  1. Nossa, olhando por esse lado, fica tentador conhece-lo.
    Bjs

  2. Muito interessante seu post teacher… Muito mesmo! Adorei!
    Mas meu negocio sao as piramides rsrrssrs! E voce sabe pq!
    Sera que um dia vc visita elas?
    E eu me pergunto: o que sera que voce escreveria a respeito?
    Beijos!

    • Espero que visite um dia, sim, Aline.

      O que eu escreveria sobre elas? Não sei… aprendi que fotos, por mais lindas que sejam, não fazem justiça a esses lugares. Posso tentar escrever um dia, mas acho que vou tentar ir pra lá antes disso.

  3. Pingback: Sombras e pó « Na Toca da Cobra

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s