Futuro do pretérito


“O futuro é uma ressignificação do passado”

Foi com essa frase que abri uma breve conversa no Facebook nesses dias. 7 “curtir” depois, achei que seria legal explicar aqui.

Estudo sensemaking e storytelling. Me apaixonei por esses temas (por indicação de meu orientador e amigo, Mário Aquino) e venho trabalhando isso desde 2007. Bem, são assuntos que também podem ser explorados fora do ambiente organizacional. Aliás, para ser mais exato, ambos os temas nascem fora desse ambiente, vêm da vida real. E aí nasce, também, a frase que postei.

Futuro do pretérito

Quem me acompanha neste espaço sabe que há dois temas que me interessam muito aqui: política e relacionamentos. Este segundo me interessa por curiosidade, sou um curioso do que é humano. É intrigante e assustador tentar entender o ser humano, seus pensamentos, sentimentos. E, penso, que é também impossível qualquer generalização.

Prólogo feito, o que disse – de fato – com aquela frase? Sempre digo que somos a nossa história, o que vivemos, passamos, forma o que somos hoje. E o que vivemos hoje, nos transformará no que seremos amanhã. O que seremos amanhã é a reinterpretação do que somos hoje, com novos olhos, com velhos olhos.

O que somos, o que fomos, o que seremos são apenas a mesma coisa que somos hoje, um dia a mais, um dia apenas.

Apenas o que somos.

7 comentários sobre “Futuro do pretérito

  1. Do indicativo, composto ou condicional? rs =P

    I totally agree with you.

  2. O futuro do pretérito é o tempo verbal que eu mais odeio! É preguiçoso, mimado e egoísta. Remete a algo que nunca aconteceu – nem acontecerá. Eu faria, eu diria, eu iria, eu deveria… e nada é feito! É um tempo verbal que não requer ação, só dá desculpas. Odeio este tempo verbal, odeio com todas as minhas forças!

  3. Apesar de entender a intenção do tema.
    Voto Nanda para Presidente! =)

  4. Nanda tem razão: esse tempo verbal é usado para você dizer “o que diria”, “o que faria”… realmente… o “eu faria diferente”, na maioria das vezes, é irritante. Eu entendo a Nanda.

    Mas voltando ao post… Sérgio, você quer entender o ser humano, os seus pensamentos e os seus sentimentos… É óbvio que isso será intrigante e assustador… e outras coisssssitas maissss…

    Você me faz rir! Eu não sei se é para ser engraçado, desculpa! Mas eu também acho óbvio que é “impossível qualquer generalização”.

    E também concordo com essa coisa de passado, presente e futuro andarem de mãos dadas… sabe, universos paralelos e dependentes…

    Mas – ressalva – para um presente bem vivido, o futuro deve estar a perder de vista e o passado, posto de lado.

    • Vou discordar da sua ressalva, Helena. O futuro não deve estar a perder de vista, mas sim no horizonte, motivando a caminhar. E o passado, bem… não acredito que se coloque de lado algo que forma quem vc é. Ele não deve ser “revivido”, pois já passou, mas estará lá, sempre.

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s