Mural das Lamentações


Há uma espécie de prazer na lamentação, e maior do que aquilo que se pensa.
Marie Sévigné


Em épocas de microposts (leia Twitter) e redes sociais, todo mundo é um pouco poeta. E como todo bom poeta, todo mundo é um pouco sofredor. Nada demais, na verdade. Nada que não seja a vida cotidiana, o dia a dia, aquela lamentaçãozinha básica na fila do caixa do supermercado reclamando da demora, do tempo, do preço do detergente líquido.

ETZEV SHEL ISRAEL

O que tem me incomodado bastante, porém, é a adoração pública dedicada a esse tipo de prática. No Twitter, Facebook, Orkut, na tagline do MSN, muitas pessoas tem dedicado suas línguas – ou dedinhos, nesse caso – a externalizar a dor. Não obstante a dor, mas o sofrimento e, principalmente, a lamentação. Coisas dóem, mas ninguém quer ouvir um discurso quando leh cumprimenta com um frio e distante “bom dia”. Pessoas transformam o Mural do Facebook ou a timeline do Twitter em Muro das Lamentações e ficam batendo suas cabeças na mesma dor durante dias, semanas, esperando que ela pare de doer. Não vai parar.

Essa cultuação pública do sofrimento, infelizmente, não é uma causa, mas um sintoma. Uma sociedade doente, sente dores e isso não é novidade. A raiz, porém, está no culto à dor como forma de tentar superá-la (e, sim, eu acredito na sinceridade das pessoas que tentam superar a dor). Acaba-se por criar, nesses casos, uma situação de busca de necessidade e atenção: grande parte desses lamentos são “dirigidos” a uma ou outra pessoa, uma forma de tentar atingí-la com a própria dor. Isso funciona? Não acredito.

Lamentar algo que aconteceu, ainda que nas redes sociais virtuais, é natural, é normal, é compreensível. Vez ou outra, entre júbilos, conquistas, derrotas e marteladas no dedão, externamos sentimentos os mais variados e, inclusive, lamentações. Transformar o sofrimento na sua única faceta visível é triste, aumenta a dor… e é chato pra caramba.

O mundo inteiro não precisa saber da dor crônica que sentimos ao acordar. Ainda que esta seja no coração. Para esses casos, o ombro de um amigo é um remédio muito mais eficaz.


Lamentos são um desperdício de tempo. Eles são o passad minando o presente.
Katherine – Fala do filme Sob o Sol da Toscana

7 comentários sobre “Mural das Lamentações

  1. Pingback: Tweets that mention Mural das Lamentações « Na Toca da Cobra -- Topsy.com

  2. Amei a citação de Katherine – Fala do filme Sob o Sol da Toscana, e Einstein diz mais ainda:

    “Não há nada mais insano do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes.”

  3. Quem deu esse nome ao muro não foram os Judeus! Tito destruíu o templo e deixou esse muro como uma lembrança de que Roma venceu a Judeia. Ao contrário do que o nome “Muro das Lamentações” sugere, os Judeus preferem entender que esse muro é o símbolo da aliança perpétua de Deus com o povo judeu.

    Meu amigo Sérgio- os Judeus não estão lá batendo suas cabeças, lamentando o passado (apenas)… eles estão lá orando, falando com Deus, depositando seus pedidos em papel dobrado nas fendas… Eles não estão SE expondo para o mundo. Eles estão falando com Deus. Isso tem que ser respeitado.

    Em relação aos lamentadores na internet, eu só tenha a dizer que sentir pena de si mesmo não resolve nada, torna você uma pessoa fraca e, ao contrário do que o pobre coitado sofredor pensa, não faz com que as pessoas sintam pena… As pessoas sentem-se incomodadas. Assim como você está (se eu ler as lamentações desenfreadas e apelativas também ficarei incomodada). Ver alguém sentir pena de si mesmo, incomoda. E você tem razão – só um amigo resolve nessa hora. E apenas uma amigo.

    Jesus não escolheu carregar uma cruz para simbolizar nada.

  4. Adorei! Estava pensando em escrever algo assim pq cheguei à conclusão que essa mania de se lamentar virou vício (tem um livro: Mania de sofrer de Bel Cesar). Ao que parece todos tendemos a sofrer desse mal. Alguns acordam e dão um basta, já outros caem no vício, esta a realidade. Vc falou facebook, Twitter, orkut, msn mas n sei se deu p perceber muitas dessas pessoas têm blog, q tb é um mural de lamentações, onde tudo na vida delas é transformado em drama. São pessoas q têm algum problema psicológico e querem a atenção dos outros, mas vou te falar isso acaba virando uma comunidade, um clubinho do sofredor e se vc tenta mostrar pra elas q n é bem assim, q o caso delas tem saída e tal, q tem gente vivendo verdadeiras dores (foi mal!), foge! O correto é vc falar “Ai, querida, tou rezando por vc, ai coitadinho do seu menino… Embora n goste da palavra coitado, é a sina dessa criança q aprende c o exemplo, então ao invés de um lutador vai ser mais um candidato à choraminguice). Por outro lado há q lembrar q quem n chora, não mama. Meio q cultural. E todos sabemos tb que saber encenar um draminha tem para algumas pessoas, um lado encantador, é equivocadamente confundido com sensibilidade apurada. A psicologia realmente explica!

  5. E ainda tem a música: do Sensação
    A tristeza no meu peito
    Resolveu se instalar
    Dores de um desfeito
    Não cansam de machucar
    Mas não acho isso direito
    Que mania de sofrer
    Vencer sem esforço é o mesmo que perder
    Se vangloriar, antes de final
    Você tão vulgar me fez tanto mal
    Me apaixonei
    Perdidamente apaixonado
    Me entreguei mais uma vez fui condenado

  6. Life is too short to waste time complaining. (Paulo Coelho)

    Procuro estar SEMPRE sorrindo, independente de tudo. Até mesmo para as pessoas mais chegadas, é muito difícil me ver chorar ou reclamar. Acho que não me cabe transmitir sentimentos negativos para as pessoas ao meu redor.

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s