Teixeirão e o cheiro de lodo no ar

Já começaram a surgir os dados sobre a inviabilidade

Sanchez e Teixeira: Diga-me com quem andas... (crédito: ESPN)

da proposta apresentada pelo presidente corinthiano, Andres Sanchez, para o estádio da Copa. Será o 12o projeto apresentado à torcida corinthiana e que servirá – mais uma vez – apenas para encher os bolsos do dirigente (lembram de Dualib? Matheus?).

Sou São-paulino vermelho (pq roxo é coisa de frutinha) e acho que, sim, o Corinthians devia ter um estádio há décadas. Tem torcida pra isso e acho uma vergonha para a torcida não terem a própria casa. Mas os corinthianos não se preocupam em ter dirigentes ladroes, desde que possam usar uma camisa lilás na rua e dizer que “nao vou te abandonar”, quando a propria diretoria do clube os abandona, largados, na segunda divisão.

Exaltam o Ronaldo, compram camisas dele, e, me digam, o que ele trouxe para o time? Um título Paulista? A esse preço??? Valeu o empenho da massa??

De verdade, acho que os corinthianos mereciam uma diretoria mais digna da sua própria história.

Será que o Teixeira tem essa força toda para conseguir passar por cima dos dutos da Petrobrás, da CETESB, dos lucros da Odebretch e do caderno de encargos da FIFA?

E viva o Teixeirão!

Anúncios

Banho de lixo

Quem vive em São Paulo (e penso ser um problema de quem vive nas grandes cidades) acaba criando um mecanismo de defesa natural. É comum ver pessoas na rua, maltrapilhos pedindo dinheiro, dormindo sob folhas de papelão. E não é uma cena agradável. É forte, choca e ver cenas assim dia após dia cria um sistema de “não ver”. O paulistano começa a passar por cenas como essa e não enxerga mais. E isso é triste. Cauterizamos a consciência e paramos de enxergar o sofrimento do outro. É mesmo triste…

Mas esse post não é bem sobre isso. Uma coisa comum é ver essas pessoas tomando banho com a água que sai dos esgotos por canos mais altos. A cena é forte, triste e… futurística! Como assim???

Há algum tempo já se fala sobre uma provável falta de água limpa no planeta. Sem novidade até aqui. O que é novo, de fato, é o modelo de reciclagem de água de esgoto utilizado em Orange County, EUA (sim, The OC). Após um ano de pesquisas, cientistas desenvolveram um modelo de reciclagem de água de esgoto (chamado por eles de Sistema de Reabastecimento de Água Subterrânea) que gra água potável. Sim, isso mesmo. Água para beber (diferente do projeto implantado em São Paulo há alguns anos que recicla a água para limpeza de ruas apenas). A notícia é interessante: em poucos anos, poderemos tomar banho (literalmente) com as águas do Tietê! Teria coragem?

E agora?

014973783001Depois de escrever o post anterior sobre SMS, celulares e tudo mais, descubro que a gigante Google lançou um serviço de localização de pessoas via celular. É isso mesmo que você ouviu: agora qualquer um poderá saber onde você está apenas consultando o Google Maps. Para acessar o serviço, basta acessar o link do Google Locate.

Para uma demonstração, veja o vídeo abaixo

Eu hein…

Mensagens do mal

Na Inglaterra, uma jovem foi presa após causar um acidente a 112 km/h. Matou uma pessoa, bateu em outros dois carros. Uma fatalidade, não fosse o fato da ditacuja estar trocando SMS enquanto dirigia. Não vou dizer que nunca fiz isso. Fiz, e se bobear ainda faço (mais uma razão para usar transporte público, hehehe). Mas a 112 km/h em via com pedestres é “um pouquinho” demais, não?SMS

Casos envolvendo SMS, pelo jeito, não são únicos. Cristiano Ronaldo, atual Bola de Ouro, causou um divórcio após o envio de mais de 300 mensagens de texto à suposta amante (casada, até então, com um empresário inglês). Uma amiga minha, por sua vez, já esteve do outro lado e recebeu o “Hasta la vista, babe” pelo celular, assim como . Aliás, Roy Keanne, antigo jogador inglês e até pouco tempo, técnico do Suderland, pediu demissão também por SMS após 100 jogos à frente da equipe. Coisas da vida…

Os SMSs, porém, não são apenas para atrapalhar a vida. No Congo, um médico trocava SMS com um colega inglês que o auxiliava em uma cirurgia, enquanto em NYC as pessoas podem ser informadas sobre alterações no trânsito pelos seus celulares.

Recuso-me a enxergar a tecnologia como boa ou ruim em si mesma. Penso que TI é como um carro ou uma faca: nas mãos de um doente, podem fazer estragos; para a maioria das situações/pessoas, fará bem. Tudo depende da forma do uso. O mesmo SMS que pode avisar que se está com o carro quebrado na estrada serve também para xingar o ex (que feio isso!). A maldade, em minha visão, está não na tecnologia, no equipamento, mas sim na pessoa que o usa.

Agora, dirigir a 112 km/h em uma área urbana já me parece, por si só, temerário.

Quiçá desse certo

PalavrasHá palavras que, principalmente quando crianças, nos chamam a atenção. Sempre me intrigou o termo “pudera“. Lembro-me até hoje da primeira vez que li. Foi num livro infantil, onde uma avó dizia ao neto que ele estava passando mal pois comera demais. Ela dizia algo como “Também, pudera, se não tivesse comido todos aqueles bolinhos” ou algo assim. Lembro-me de não saber o que significava aquilo e ficava imaginando possíveis significados. Era irritantemente divertido. Outra que vim a conhecer mais tarde foi “quiçá”. No começo, achava se tratar de uma dessas divindades da umbanda. Tipo, Oxalá, Quiçá e por aí vai. E não para por aí: falácia, defenestrar, e outras são palavras quase em desuso em nosso país tupiniquim.
Felizmente (ou não, digam os lingüistas) esse “fenômeno” não é atribuição apenas das terras das torres gêmeas (as de Brasília, vale lembrar). Na Inglaterra, a Oxford University promove um site chamado Save the Words (alguma semelhança com os profetas do Aquecimento?), que visa resgatar o uso de palavras quase esquecidas. Ao entrar no site, o internauta é convidado a “adotar” uma palavra e se comprometer a usá-la tanto quanto possível em comunicação verbal ou escrita.
Uma iniciativa assim, no Brasil, seria – pelo menos – divertida. Fica a dica para quem tiver tempo para montar. Quiçá dê até dinheiro!