Três coisas que eu não acredito


Li uma entrada (muito divertida) no blog do Tiago Luchini intitulada Três coisas que eu não acredito (ele, por sua vez, se baseou no Indexed). Daí, pensei: “Que ‘três coisas’ eu não acredito?”

Vai abaixo:

  • Viagem no Tempo: sim, eu sei que já foi realizado um teste que mudava um átomo de lugar e tudo mais. E também sei que, em teoria, o tempo pode ser “dobrado”, de forma a propiciar viagens através dos “buracos de minhoca” (vide Física Quântica), mas esse post é sobre acreditar ou não. Não acredito em viagem no tempo por duas razões simples (e não creio que sejam simplistas). A primeira, tem a ver com uma questão “metafísica”, que trata da alma. Não acredito que a “alma” (seja a definição que se queira dar) possa ser teleportada dessa forma. Sim, alguém poderia dizer que a alma, metafísica que é, poderia se teleportar sem a necessidade do aparelho. É uma possibilidade? Sim. Mas eu não acredito. Haveria que se comunicar o computador com a alma, e já me parece bastante complexo conectá-lo à mente. A segunda razão (essa sim, simples e simplista, mas lógica) é o fato que nunca recebemos uma visita do futuro (ao menos eu nunca recebi, hehehe) que “prove” na existência de tal tipo de viagem. Mas, se você quer se divertir com o assunto, indico a leitura de O Guia do Mochileiro das Galáxias, onde explicam, inclusive, que não há problema maior em se voltar ao passado e ser seu próprio pai. Hehehe…
  • Socialismo/comunismo e seus adeptos: novamente, por duas razões. A primeira, a evidência histórica. É uma piada acreditar que possa haver socialismo/comunismo em uma sociedade livre e “justa”. A liberdade, se dá por meio de prisões e mortes. A “justiça” se nivela por baixo, deixando todo mundo “justamente pobre”, enquanto uns poucos mamam nas tetas da população. Até no Brasil já fazem isso. Não sou “fã” do capitalismo: e, sim, acredito que ele é cruel. Mas confesso que não consigo pensar em algo mais “justo”. E, nas minhas viagens, já tentei diversas vezes. Até para a “democracia” e suas mazelas, eu daria meu pitaco, mas não no modelo econômico. O capitalismo, a despeito de tudo, tem a seu favor a possibilidade de alguém inventar algo revolucionário e se tornar um megamilionário (chances raras, eu sei, mas existem). Ao menos é um modelo que visa beneficiar o esforço e a genialidade contra o “QI” (Quem Indica). Além disso, os “comunistas” que conheci até hoje tem seus próprios relógios, seus próprios carros e suas próprias (muitas vezes, gordas) contas bancárias. Até Saramago já é chamado de “comunista vendido”.
  • Ateísmo: Novamente, questão de fé. Mas não acredito mesmo em ateísmo, nem em ateu. Acredito, sim, que há pessoas que não acreditam/aceitam o Deus cristão, que cultuam a Lua, o Sol, a Ciência, o Tom Cruise. Mas não consigo conceber alguém que não tenha uma própria “crença” acerca de uma “força superior”. Penso que o mais convicto ateu tende a “acreditar” na teoria do Big Bang, por exemplo. Sim, eu disse “teoria”, pois é o que é. Por mais “plausível” que possa ser para alguns, a mim, continua faltando o “o que havia antes do pontinho preto no meio do Universo?”. Eu entendo que havia Deus (e antes dele? Ele). Outros acreditam que havia Tupã. Outros, que havia um pontinho preto. Mas não acredito em alguém que não acredite.
Sim, deixei de fora o Papai Noel (pois eu já o vi quando era criança), o Saci Pererê, o Grilo Falante e o Pinóquio. Também deixei de fora os unicórnios que “cagam” doces e o “mercado livre”. O primeiro, pois é uma questão que pode ser resolvida com manipulação genética, o segundo, pois preciso antes entender o que é esse tal de “mercado”, essa entidade viva, maquiavélica e cruel, que come criancinhas e bebe petróleo. Só então poderei falar de liberdade”.

Se vc é blogueiro, entre nessa também: “Quais são as três coisas que você não acredita?”

Anúncios

13 comentários sobre “Três coisas que eu não acredito

  1. Só um comentário rápido a respeito do seu 3o. ponto. Na verdade, etimologicamente, atéista quer dizer que não acredita em nenhum deus. Então você provavelmente quer dizer que você não acredite que existem pessoas que não acreditem em nada.

    Se for o caso, concordo contigo. No entanto, eu me defino como atéista, na medida que eu não preciso justificar a existência das coisas, nem a minha, e só explico o que posso explicar pelas ciências. Ou seja: todo é materia, e sempre foi. Explicar o início do universo não faz mais sentido que procurar saber o que tem após a morte. Todo se transforma. Somos um aggregado de partículas e quando morrermos, nossas particulas se recombinarão dentro de outras coisas. Da mesma forma, o universo tal como o conhecemos (ou na verdade não conhecemos) é só a transformação de outra coisa que o era anterior…

    Eu não acredito em Deus e em nenhum deus, principalmente porque eu acho que é na natureza do homem querer explicar ou justificar as coisas. Mas nem sempre precisamos de explicação, e ainda menos de inventar alguma coisa metafísica para substituir uma explicação que falta… Porque quando vierá a explicação, muitos ficaram decepcionados, porém após solucionar essa pergunta, teremos outras, e outras ainda… O homem procura explicar, e quando faltam perguntas, ele inventa outras…

    Mas aceito que a maioria das pessoas precisem de explicações 😉

    Abraços,
    Phil

  2. As três coisas que eu não acredito se resumem a uma coisa: “listas de três coisas que não acredito!”

    Sayonara…

  3. Viajar para o passado não acredito que seja possível mas com certeza um dia “viajaremos” para o futuro ou conseguiremos retardar o envelhecimento de forma exponencial. Isso porque a linha do tempo continua indo para a frente e essa é uma regra que não acredito que conseguiremos quebrar.

    Socialismo/comunismo não funcionam. A social-democracia eu já comeco a ter minha dúvidas se não é uma boa se o povo tiver educacão.

    Ateísmo: estamos no mesmo ponto. Agora, o Papai Noel é claro que existe!!! Trabalha 10 horas por dia, 7 dias por semana aqui perto de casa. Eu sei porque já vi…. ahhahahahaha

    tiago

  4. Phil

    Entendo seu ponto. De fato, coloquei ateístas e “incrédulos” (na falta de palavra melhor) no mesmo barco por acreditar que pode-se ter um “deus” diferente, mesmo que ele se chame “ciência”. Aceitar algumas teorias como verdades absolutas – por mais plausíveis que sejam – me parece algo dogmático, como religião.

    Mário

    Heheheh… mas responder meus e-mails você não responde, né, grande mestre?

    😛

    Tiago

    Mas é um conceito diferente do pregado pela linha da ficção.

    Acho a social-democracia “legal”, mas pouco estudei a respeito. Preciso me inteirar mais.

    Do Papai Noel, eu acredito em você, já que é seu vizinho.
    Hehehe…

  5. O tempo não existe, As pessoas contam as horas apenas para se controlar a se mesmas… Na verdade o futuro esta sendo criado agora mesmo neste exato momento em que vc esta lendo este escrito 😉 Porem já que em nossa memoria contamos os dias e marcamos fatos com fotos, imagens e textos e audios e tudo mais, temos uma ampla biblioteca de arquivos que hora nos prejudicam e hora nos auxiliam, Tudo esta dentro de nós como um mecanismo… A VIDA É PRA VC O QUE VC DECIDIR SER NELA… E isto nada mais é que EXPERIÊNCIA!

  6. Todo esse negócio de dizer que socialismo e comunismo não funcionam me incomoda um pouco. Usando os seus argumentos, o capitalismo também não funciona e é igualmente utópico. Você fala de evidência histórica, mas o capitalismo nunca foi o que sua teoria esperava, não há motivos pra achar que deva ser diferente com socialismo/comunismo. Não que eu esteja defendendo qualquer um desses sistemas, aliás. Eu só acho que funcionar por funcionar, o socialismo, e especialmente o comunismo PODEM (palavra chave: podem). Se vai ter um resultado bom ou justo, isso é outra história. Eu não vejo muita gente achando o capitalismo bom e justo, mas, imperfeito ou não, é obviamente possível de se fazer funcionar à um certo nível.

    Mas não, não tem nada de justo no socialismo. Nem no capitalismo. Nem em qualquer ismo. A vida é injusta, kiddo. Política e economia não são exatamente sobre justiça.

    O negócio de viagem no tempo, sei lá. É improvável, mas eu não costumo definir nada como impossível. E de qualquer forma, exsiste muita base teórica pra possibilidade única da viagem para o futuro, mas não para o passado, o que explicaria por que ninguém veio avisar a gente ainda. É claro que seria muito badass poder viajar pro passado. Eu totalmente queria ser meu avô. Ew, não.

    E esse negócio sobre ateísmo foi só meio bobo. É só uma expressão pra falar de alguém que ‘não acredita em deus’, ninguém usa pra falar de alguém completamente cético. E eu acredito no ceticismo, lolfuckingzilla.

  7. Por partes (de novo, hehehe)

    Só pra saber, qual a “teoria” do capitalismo que você citou? Na verdade, o capitalismo surge como evolução (natural, entendo) do mercantilismo que nasce no final da Idade Média. Assim como acredito que a tecnologia transformará o capitalismo a tal forma que receberá outro nome. Mas nada pensado por um (ou vários) filósofo, como o socio-comunismo. Apenas evolução natural das coisas. Justamente aí, entendo, está o problema do socialismo/comunismo que tentaram implantar: ele não veio como evolução de nada, mas como “revolução”.

    E do ateísmo, sim, usam para falar sobre pessoas céticas. Os que “estudam” o ceticismo (ou mesmo a cientologia, que, para mim, é uma religião com um “deus” chamado “Ciência”) de fato, entendem a diferença dos termos e o evitam. Mas a muitos jovens rebeldes revoltados com alguma religião e que querem parecer mais “intelectuais” se auto-denominam “ateus”, não como “não acredito” em Deus, mas como “eu afronto” Deus. Para mim, isso tem outro nome…

  8. Erro meu, eu me expressei errado. Realmente o capitalismo não tem uma teoria que possa se comparar à do socialismo, mas tem um tipo de plano. Apesar de funcionar tão facilmente na mair parte do mundo sem tantas revoltas (práticas) exatamente por ter sido uma evolução, não é como se tivesse acontecido sem idéias por trás. Em teoria, o capitalismo deveria criar uma economia balanceada, como poucos casos de diferença classial abismal, e sem miséria. E todo mundo sabe que isso não é verdade e praticamente impraticável. Eu não vou, até porque não sei explicar em detalhes como o capitalismo supostamente deveria trabalhar, mas é uma teoria absurdamente diferente da realidade.

  9. Hum… novamente citou uma tal “teoria” capitalista. Penso que essa “teoria” surge para explicar, não formatar. Ou seja, ela nasce depois do fenômeno, não antes, como é o caso do socio-comunismo.

    E não penso que o capitalismo criaria uma “economia balanceada”. Novamente, isso é a “teoria”. Na prática, o capitalismo ampliaria o buraco social, uma vez que quem tem mais dinheiro vai ter como conseguir ainda mais.

    O que mudaria isso, então? Como disse, penso que duas coisas: um avanço tecnológico tamanho que o custo das coisas seria ínfimo, possibilitando acesso a todos; e uma mudança de mentalidade, tornando o “social” algo prático. Assim, não seriam os governos com seus “bolsas-esmola” quem trabalharia o social, mas as próprias pessoas “capitalistas” fariam isso. E penso que, como a maior parte das coisas, a iniciativa privada seria bem mais eficiente nisso que o poder público. Na verdade, penso que surgiria, ou ressurgiria, um poder público do povo em si, não de uma classe política que toma decisões pelo povo.

  10. Só um breve comentário sobre o título escolhido. Na verdade você falou sobre uma coisa que você não acredita (2) e duas que você acredita: Alma (1) e Deus (3). Na verdade você está mais acreditando que desacreditado… rsss

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s