Diário de Viagem 2014 – 2009, versão 2014

Artigo enviado.
Artigo aprovado.
Passaporte renovado na mão.
Inscrição paga.
Passagem comprada.
Frio na barriga.

Em uma semana começa o Diário de Viagem 2009, versão 2014 (hehehe). Farei basicamente o mesmo roteiro da viagem anterior, mas com uma esticada até a Holanda, onde acontecerá o EGOS 2014.

Muita coisa mudou em 5 anos… muita mesmo! Mas isso a gente conversa ao longo dos próximos dias.

‪#‎DiarioDeViagem‬ ‪#‎EGOS2014

viagem à Itália

Diário de Viagem 2012 – O menino da coleira

Podem dizer que é amor, cuidado ou o nome que quiserem dar, mas ver um menino sendo segurado por seu pai em uma coleira é revoltante. Seja no Brasil, na Estônia ou em Santa Rita do Passa Quatro.

Ridículo!

IMG_9488 - Coleira

PS: eu entendo a razão pela qual se usa essa coleira e até concordo que ela dá mais liberdade pra criança (provavelmente eu também usasse), mas que a imagem é forte, é.

 

Diário de Viagem – 2010 – MUITOLOUCO

Para quem queria saber como foi minha apresentação hoje cedo, só uma palavra: MUITOLOCO! Eu estava, sim, nervoso, ansioso, sei lá. Estava com medo mesmo. Incrivelmente, mais com medo do que no ano passado – e olha que, além de mais experiente, o paper estava melhor nesse ano. Não sei, acho que levei mais a sério, então fiquei receoso. Não saí com o pessoal ontem por isso, dormi tarde estudando. Mas valeu a pena! Valeu muito!

Fiz a primeira apresentação do tracking, a primeira do congresso para aquele grupo. Disse para meus amigos aqui que abri o EGOS – mais tarde, o Marcus e o Caio fechariam, fazendo a última apresentação de seus respectivos trackings. Durante a apresentação minhas mãos tremiam. Apresentei rápido, em 10 minutos – tinha 15 – e passamos logo às perguntas. De cara, silêncio. Só me deixou mais nervoso. Até que alguém faz uma pergunta, sobre as fontes de informações. Legal, resposta fácil – já tinham feito essa pergunta no ano passado e estava tranqüilo com isso. Mais algumas questões e então a questão do chairman da sessão: “Será que as negociações já não se arrastavam bem antes, logo os eventos que você citou não teriam impacto nenhum, na verdade?”. Cara, é pergunta de professor para ver se o aluno estudou – ou para ferrar mesmo. E a resposta veio na lata: “Não!” Não vou entrar em tecnicidades aqui, mas o último evento deixava clara a influência sobre a decisão. E expliquei direitinho. Elogiaram a técnica utilizada e me sentei. Aliviado, feliz, radiante. Ok, eu estava todo balão! Cheio, flutuando, baita sensação boa. Quando me sentei, fiz questão de vir compartilhar minha alegria com vocês via Twitter (apenas me esquecendo que ainda eram 5:30 da manhã no Brasil. ¬¬

Mas ainda tem o Gran Finale: a última apresentação da sessão foi do próprio chairman da sessão, e também sobre alianças – além dessas duas, apenas mais uma era sobre alianças, todas as outras eram sobre fusões e aquisições. E, sinceramente, o trabalho dos caras foi grande, mas achei mega fraco. Fizeram 21 entrevistas e não chegaram a nenhuma conclusão, não vi profundidade na análise, a despeito da quantidade de dados. Mas estou na minha, sou só um visitante brasileiro. Qual não foi minha surpresa, porém, quando uma americana bateu no paper do cara, disse sobre a falta de conclusão e ainda usou o meu paper para falar que ele poderia ter feito uma análise mais interessante sobre o caso. Ah, cara, aí eu virei balão metereológico, daqueles que vão lá no alto e ficam. Estou MUITO feliz. Feliz mesmo, sabe? De sair sorrindo pela rua.

O próximo passo é publicar o paper em uma revista de ponta internacional. Já falei com o Mário que quero tentar. Vamos ver o que dá.

Agora me deixa flutuar mais um pouquinho. Hehehe

Sem preço

Recebi há pouco uma foto-lembrança de 2004, ano em que comecei a lecionar. Cabelos compridos, calça bag, barba. Inexperiente, sim, encarei duas turmas de cara na UnG. No semestre seguinte, já foram 3. Bons tempos… apesar de toda a turbulência que atravessava no âmbito familiar e pessoal, não me esqueço da experiência de ter lecionado para pessoas como o Jorge (que me enviou a foto), a Leidi, Nessa Punhage, Sandro Marchetti, Sergio Lavor, Daniel, Vagner, Priscila Tim, Victor e tantos outros. É injusto, sim, citar nomes aqui, mas citei aqueles com quem mantive mais contato após a faculdade.

Uma honra ter acompanhado uma parte da formação, não acadêmica, mas de caráter dessas pessoas.

Grande abraço, “crianças”!


junior-2005-02-24

Sexxx

Não me recordo de já ter indicado aqui, mas certamente já o citei. Dessa vez, portanto, venho indicar o Sexxxchurch, um site cristão sobre sexualidade.

Apesar de muitos verem os temas como paradoxos (sexo e cristianismo), é importante uma visão equilibrada sobre o assunto. Cristãos fazem sexo??? Há pessoas que acreditam que não! Incrível, mas real. E também tem dúvidas, desejos, conceitos e, inclusive, fetiches.

Bem, recomendo mesmo a leitura do blog e que assinem o RSS. Os caras mandam bem e gosto muito quando leio. Principalmente pelo desafio que é levar algumas verdades na cara.

Tem coragem?

Dissertação

Caros,

Decidi postar aqui a minha dissertação, na sua versão integral, para quem se interessar poder ler um pouco do meu trabalho. Estou com um artigo aprovado em congresso internacional também. Assim que tiver sido publicado lá, disparo ele aqui também

Por hora, seguem as 143 páginas de muito trabalho, suor e alegria.